Filme do Mês – Novembro

Competição do Destino (American Flyers, 1985)

Novembro já está terminando, mas não sem nosso tradicional filme do mês. Assisti esse filme já faz um bom tempo, e resgatei minha memória com a ajuda do Google. Em Competição do Destino (American Flyers, no título original), dois irmãos (Kevin Costner e David Grant) lutam para resolver sua relação conflituosa, tendo como pano de fundo o treinamento para uma competição ciclística.Lembro que o que mais me marcou quando assiti foi o tradicional embate da Guerra Fria, comum nos filmes da década de 80. Não bastasse todas as dificuldades enfrentadas pelos irmãos no campo emocional, as competições de ciclismo são recheadas dos mais belos pegas entre os americanos (azuis, capitalistas, honestos, justos, limpos e lindos) e os soviéticos (vermelhos, comunistas, barbudos, mal encarados, trapaceiros, comedores de criancinhas etc).

Adivinha quem ganha? rsrs

Não precisava nem ver pra saber não é mesmo. Mas o filme vale muito a pena. Pra quem se irrita com o clichê, relaxe que fica até divertido, e é uma bela história. O filme está disponível na íntegra no Youtube (procure por “American Flyers”), em 12 vídeos de mais ou menos 10 minutos. Aqui no blog, deixo a sinopse e ficha técnica (do site Interfilmes) além da trilha sonora com imagens do filme.

E cuidado com o ciclista barbudo comedor de criancinhas!

Sinopse
Competição de Destinos, como escreveu Rex Reed, “é uma delicada mistura de romance, humor e lágrimas, com algumas das mais emocionantes cenas de ação já realizadas”. Kevin Costner, duas vezes vencedor do Oscar, e David Grant, interpretam dois irmãos lutando para vencer a Hell of The West, uma das mais importantes competições de ciclismo do mundo, e recuperar o respeito e o afeto entre eles. Seu único temor, enquanto treinam e pedalam juntos, é que uma doença congênita que atacou seu pai, possa atingi-los a qualquer momento. Escrito por Steve Tesich, vencedor do Oscar por O Vencedor, e dirigido por John Badham (Os Embalos de Sábado a Noite), Competição de Destinos é um espetáculo para lenvantar o astral.

Informações Técnicas
Título no Brasil:  Competição de Destinos
Título Original:  American Flyers
País de Origem:  EUA
Gênero:  Drama
Tempo de Duração: 113 minutos
Ano de Lançamento:  1985
Estúdio/Distrib.:  Warner Home Video
Direção:  John Badham

Anúncios

Mais uma pedalada de vida…

Parabéns para o grande Brother André por mais uma pedalada nessa trilha da vida…  que seja repleta de belas paisagens, com subidas para ensinar a ter forças, com descidas para recuperar o fôlego e com sombras e riachos para refrescar o caminho. E que sempre seja cheia de boas companhias para dar aquela palavra de incentivo quando o cansaço bater…

abraço meu irmão,  são os votos de seus amigos…

Barba, paz.

(ps.: a foto foi retirada do blog: caseirinho.wordpress.com/ , nunca comi mas parecem muito bons.)

Camisas de ciclismo com temas musicais

Coisa difícil pra mim é arrumar uma camisa de ciclismo que goste, esteticamente falando. Uso porque é muito bom, especialmente os bolsos e a ventilação, mas não me agrada muito virar um outdoor pedalante pela cidade. Isso porque a maioria delas geralmente tem muita propaganda, o que deixa a camisa inclusive um pouco “suja”.

Agora legal mesmo é esse site que vi há alguns dias: Ride7b. Camisas de ciclismo de bandas de música! São poucos artistas, mas alguns modelos muito legais. Separei aqui uma dos Beatles, outra do Jimi Hendrix, e uma do Bob Marley (se liga cumpadre Barba, no site tem uns modelos muito maneiros). Clicando nos modelos você também é direcionado ao site.

O preço é relativamente salgado, pois as camisas de ciclismo em geral custam mais caro. E essas do site estão entre 40 e 80 dólares. No Brasil as camisas mais básicas (e cheias de escritos) custam entre R$ 45 a R$ 60 (as mais baratas).

Recesso criativo

Depois de uma parada forçada de 10 dias o blog volta a ativa. O recesso criativo geralmente coincide com o excesso laborativo. E aí ficamos sem tempo pra fazer as coisas que gostamos. Enfim, mãos à obra.

Cuidado, homens pedalando.

Bicicleta HQ

Tô passando rapidinho pra mostrar uma reportagem muito bacana que o JC Online fez. É uma história em quadrinhos sobre bicicletas no formato de capítulos, com uma seção interativa onde podemos contar nossos casos sobre acidentes com bicicletas e tudo mais. Bem simples e educativo pra quem quer começar ou curte pedalar. Clicando nos capítulos você vai acompanhando as histórias. Recomendo!

http://www2.uol.com.br/JC/sites/bicicletas/index.html

Sinal verde no metrô do Rio

No Rio bicicleta também tem vez. Inclusive com um sistema bicicletas disponíveis em algumas estações, além dos bicicletários.

Contribuição de nossa leitora Cecília Estella.

Imagem0029

Simplesmente Foda….

Mais um vídeo para a sessão: “será que sei andar de bike?”… ahuahaua

O vídeo fantástico que está aí é uma sugestão de nossa leitora Ana Karina.

 

 

Barba, paz.

Sinal verde no metrô de São Paulo

Foto tirada por Cecília Estella

DSC01222

 

Música do Mês – Novembro

Bicicleta – Café Tacvba

A banda mexicana de rock  Café Tacvba (antes chamada Cafe Tacuba, mas teve que trocar seu nome por problemas legais) fez essa música bacana. O único momento onde a bike é mencionada explicitamente é no título da música. Mas pela letra dar pra sacar as referências diretas a um passeio de bicicleta. Segue o vídeo e a letra.

 

Bicicleta – Café Tacvba

Asi son las cosas
en la pista de la vida
unas veces vas abajo
y otras vas arriba.
Una vuelta hacia la izquierda
y otra a la derecha
pocas veces tus palabras
siempre fraces hechas.
Hoy sin una direccion
mañana nadie sabe
sin responsabilidad
sin sentirte culpable.
Hoy no existe ni el hogar,
trabajo ni pareja
sufre mas el que se queda
o aquel que se aleja.
Por favor,
no dejes que me detenga
tampoco me dejes caer.
Otro dia, otra mañana
y otro tu camino
y que el viento en tu cara
marque tu destino.
Una vez que lo aprendiste
nunca se te olvida
asi son las cosas
en la pista de la vida.

Asi son las cosas
en la pista de la vida
unas veces vas abajo
y otras vas arriba.
Una vuelta hacia la izquierda
y otra a la derecha
pocas veces tus palabras
siempre fraces hechas.
Hoy sin una direccion
mañana nadie sabe
sin responsabilidad
sin sentirte culpable.
Hoy no existe ni el hogar,
trabajo ni pareja
sufre mas el que se queda
o aquel que se aleja.
Por favor,
no dejes que me detenga
tampoco me dejes caer.
Otro dia, otra mañana
y otro tu camino
y que el viento en tu cara
marque tu destino.
Una vez que lo aprendiste
nunca se te olvida
asi son las cosas
en la pista de la vida.

Sonho de consumo…

Salve, salve, galera…

Quem me conhece sabe o quanto gosto de reggae. Vai mais além,  não só gosto da música de Jah, mas da filosofia rastafari.

O preconceito enorme que existe com relação aos rastas impedem muitas pessoas de perceber o quão rico é esse modo de ser, viver e celebrar.

Sem querer me alongar gostaria de deixar claro, ser rasta não é fumar maconha. Na Babilônia, sociedade capitalista moderna,  este é um hábito vulgarizado por muitos e perdeu seu aspecto celebrativo e não é mais consenso entre os rastafaris. Esse costume tem sua origem nas remotas sociedades tradicionais (indígenas) que utilizavam ervas diversas, seja atráves de efusões, chás, ou mesmo fumando, como forma de curas ou em ritos celebrativos, mas nos dias de hoje é um “modismo” perverso, que tem enormes implicações negativas…

Ser rasta não é ter dreadloks (tranças, para ficar mais claro: cabelo do Bob Marley), o cabelo não faz de uma pessoa um rastafari. Conheço muitos cabelos embolados que sequer sabem o significado de Jah. Entretanto, conheço muitos outros que seguem os princípios de Jah sem tem o cabelo grande. Como diria uma letra de música: ” de que valem os dreads se as palavras são em vão, o que te faz um rasta é a alma e o coração”(banda Ponto de Equilíbrio)

Bom… muitos deve estar se perguntando: o que isso tudo tem a ver com um blog de bicicletas?

Pedalar não é só um esporte, pode ser muito mais… pode e é um ato de respeito com o mundo, com o outro e com você mesmo.  Quando estamos em cima de uma bike precisamos do respeito do outro, dos carros, dos pedestres e precisamos respeita-los. Precisamos respeitar nossos limites. Exercitamos a tolerância.

Sendo assim, estamos totalmente integrados com o unvierso físico e social – este entendido sem seu sentido mais amplo, pessoas, espaços fisicos, contextos sociais, etc..

São princípios de qualquer filosofia de convivencia pacífica e harmônica seja qual for o nome que se dê a ela. É, portanto,  um dos princípios da filosofia rastafari.

Juntando os dois temos as Bikes rastas.. pedalando com Jah.

2445905

Tradicional, estilosa.... Linda!!!

514767323_46a2d3a7a2

Estilo esporte radical...

rasta_seed_bike

Para completar…  Não poderiamos deixar o grande Rei do Reggae sem ser homenagiado…    Mr. Bob Marley :

prw149

Rasta Man...

Isso aí galera..  abraço a todos,

Imagem 011

Que a paz de Jah ilumine a todos, Barba. (foto antiga)

Entradas Mais Antigas Anteriores

Mais visitados

  • Nenhum
%d blogueiros gostam disto: