Pra esquecer…

Imagem do blog "gente lesa gera gente lesa". Clique para conferir o post.

… mas merece registro.

Andar de bike no trânsito de uma grande cidade como Belo Horizonte já me deixou relativamente acostumado com a falta de educação no trânsito de algumas pessoas. Respondo às businas e algumas irritações de motoristas com um aceno, desejo bom dia,  peço calma, e é claro, desculpas quando vejo que errei.  Por outro lado cumprimento e agradeço sempre os motoristas que respeitam a preferência, enfim, procuro lutar por um trânsito mais bacana pra todo mundo.

Mas o que aconteceu comigo hoje na ida pro trabalho não tem outro nome senão uma tentativa de homicídio por parte de um demente que transfere para seu possante automóvel as frustrações de sua vida.

Estava eu andando na direita na Avenida Brasil, em boa velocidade, quando sou fechado com violência por esse carro que desejava fazer uma conversão a direita. Bastava esperar  algo em torno de meio segundo (no máximo), pois não estava no cantinho, e sim deixando o espaço livre para conversão. O carro acelerou “por fora” e ao mesmo tempo que foi me ultrapassando foi me fechando, passando muito, muito perto mesmo. Junto a essa demonstração de força fui presenteado com o dedo médio do infeliz em riste.

Me senti violentado (não pelo dedo médio, mas como cidadão). Não consegui xingar ou fazer quase nada, apenas gritar um “tá maluco mermão!” no melhor estilo aprendido nos dois anos de vida no Rio de Janeiro. Lembrei que tinha me afastado do automóvel quando vi que estava me aproximando desse tipo de mentalidade.

Como disse, merece registro mais pelo desabafo. Não gosto de generalizar, pois a despeito de algumas businas e lutas por espaço no trânsito, fazia muito tempo que isso não acontecia.

Mas infelizmente ainda acontece.

Anúncios

Caloi Berlineta SB

“Uma super surpresa para o super ano de 1974!”

Não precisa nem dizer que deu vontade de experimentar uma voltinha…

Cycle Chic

Bela dica de site feita pela amiga Nina. Selecionei 3 fotos do site Copenhagen Cycle Chic, que tem um acervo maravilhoso. Já entrou na minha lista de favoritos.

Ocean on Bicycles

Vi esse vídeo e achei demais! Deixo aqui pra inspirar um ótimo fim de semana.

O vídeo é de um cara chamado Jean Pichot, que tem outros curtas bem legais no Vimeo ( http://vimeo.com/runrobot ) e um site onde apresenta seus trabalhos de design, animação etc.: http://blog.runrobot.tv/

Enjoy!

Vergonha

Do blog do Fernando Rodrigues

22h38 – 22/06/2010

Brasil profundo

Governador distribui bicicletas em ano eleitoral

Aliados de Carlos Gaguim (PMDB) doaram bicicletas e pediam votos para reelegê-lo

Justiça mandou e PF apreendeu 1.250 bicicletas no Estado do Tocantins

Há um potencial escândalo em curso no Tocantins, o mais jovem Estado brasileiro. O governador local, Carlos Gaguim (PMDB), está sendo acusado de distribuir bicicletas como forma de promoção pessoal. Ele é candidato à reeleição.

A equipe da campanha adversária de Gaguim, comandada pelo pretendente ao governo tocantinense  Siqueira Campos (PSDB), divulgou um vídeo comprometedor (abaixo). As imagens e o áudio demonstram que aliados de Gaguim pedem apoio à reeleição do governador durante distribuição de bicicletas de um programa do governo estadual. O fato ocorreu neste mês, em 14.jun.2010. (continua…)

Link para a reportagem completa: http://uolpolitica.blog.uol.com.br/arch2010-06-20_2010-06-26.html#2010_06-22_23_38_00-146862253-0

Link para o vídeo: http://mais.uol.com.br/view/5204483

Triste a sujeira na política. Foram bicicletas mas poderiam ser cestas básicas, sapatos, dinheiro, enfim… uma vergonha.

2010 World Expo – Shangai

O pavilhão da Dinamarca na Exposição Mundial de Shangai não poderia ser diferente. Confira num tour de bike. Lindo!

http://vimeo.com/12552097

O site oficial da exposição: http://en.expo2010.cn/

Vídeo enviado pela amiga Camila. Valeu!

El Diablo

Didi Senft é um inventor alemão que faz as bikes mais malucas que já vi. No Tour de France, é conhecido como El Diablo (já ficou famoso por sua fantasia). Veja algumas invenções de Senft. Pra se divertir mais com os vídeos só entendendo alemão.

Site oficial – http://www.tourteufel.de/

Blanche d’Antigny

Blanche d’Antigny (1840-1874) e sua bicicleta
Ano: 1869
Artista: Maurice Betinet
Tema: ciclismo
Pais: França
Tipo: Pintura
Material: Óleo sobre tela
Localização: Château de Sceaux/Musée de l’Ile-de-France/França
Fonte: http://www.allposters.com

O ladrão de bicicletas

Vídeo promocional do evento “BSA Hercules Cyclothon”. Uma competição de bikes realizada em Bangalore (India) em 2009.

Achei demais! Indian style!

Pra saber mais: http://bsaherculescyclothon.in.com/media.php

Pedalando longas distâncias

Já fazem umas duas semanas que fiz um pedal de longa distância. Fazia muito tempo que não pedalava muito, e nesse dia bati meu recorde de distância numa única pedalada. Foram 150 Km, 130 deles numa pequena viagem/passeio já registrada aqui no blog, e os outros 20 completados dentro da cidade.

Longe de um tratado sobre atividade física e treinamento de ciclismo, vou colocar aqui algumas impressões mais gerais sobre a pedalada de longa distância. Se quiser ler algo sobre treinamento, temos bons sites na internet e bons livros também (depois indico alguns).

Foram poucas as vezes que pedalei percursos acima dos 100 km. Minha maior pedalada antes dessa (144km) foi há mais de 5 anos. Mas andei fazendo outras esticadas de 130, 120km. Pra mim esses pedais são raros por alguns motivos: obviamente por serem muito cansativos, e por tomarem um tempo muito grande. Outro fator é a companhia. Não é sempre que estou animado de fazer sozinho, e por outro lado, é difícil arrumar um guerreiro disposto a te acompanhar numa dessas.

De qualquer maneira, nos 150 km recém percorridos percebi alguns detalhes que me ajudaram a chegar bem, apesar de não estar tão  preparado como em outros tempos. Vamos a eles:

Hidratação: até aí nada de novo, pois sempre fui atento a essa questão. A cada 15, 20 minutos um pouco d’água. No caso de pedaladas de longa duração (acima de 2 horas) utilizo isotônico (Gatorade, água de côco, etc.) que também repõe sais minerais e tem carboidratos para manter a energia.

Alimentação: aí uma grande diferença. Nas pedaladas longas que já fiz sempre levo bastante rango. Engano com umas barrinhas de cereal e o momento do “banquete”, com sanduiches, frutas etc. Se estiver em algum local com comércio, aproveito também alguma lanchonete ou padaria. O grande erro: sempre comia quando a fome chegava. Fazendo isso, sempre chegava um momento no pedal onde me sentia fraco (achava que era apenas devido ao cansaço) além de me sentir um saco sem fundo, e nada que eu comia resolvia. Deve ser feito como a hidratação, ou seja, devemos manter a ingestão de carboidratos  para termos energia durante toda a pedalada. Dessa vez levei umas tirinhas de doce de banana, que ia comendo a cada 30, 40 min, durante o pedal (além da hora do rango mais pesado mesmo). Isso me deixou bem mais inteiro durante toda a pedalada , que totalizou pouco mais de 7 horas (de pedal girando, excetuando-se os descansos).

Roupa de baixo (o que???): isso mesmo. A famosa cueca senhoras e senhores. Parece bobagem? Pedale por 7 horas com uma cueca slip. A costura provavelmente deixará a pele da virilha em carne viva. E se estou escrevendo isso, é porque infelizmente já aconteceu. Mas valeu a lição. Cuecas grandes, tipo boxer (tá na moda já faz um tempo).

Conforto: bermuda acolchoada, selim confortável. Mamãe passou talquinho e cuidou tão bem, não vamos fazer pouco caso agora.

Costas livres: nada de mochila, pochete ou mochila de hidratação. Da mesma forma, ao longo das horas, o pequeno peso vira um verdadeiro fardo a ser carregado, e a lombar que já é exigida por posições mais agressivas de pedalada vai abrir o bico.

Protetor solar: dispensa comentários.

Resumo da ópera: é claro que para fazer longas pedaladas é preciso o mínimo de preparo. Começe com distâncias menores, mantenha regularidade, e se animar, escolha um dia para esticar um pouco mais longe. Após o pedal mantenha a boa alimentação, e é claro, descanse. No caso de pedaladas longas, alguns desses pequenos detalhes podem fazer a diferença entre chegar bem, chegar um bagaço, ou voltar empurrando.

Tem mais alguma dica? Me ajuda ae, é só comentar.

Entradas Mais Antigas Anteriores

Mais visitados

  • Nenhum
%d blogueiros gostam disto: