Pedalando longas distâncias

Já fazem umas duas semanas que fiz um pedal de longa distância. Fazia muito tempo que não pedalava muito, e nesse dia bati meu recorde de distância numa única pedalada. Foram 150 Km, 130 deles numa pequena viagem/passeio já registrada aqui no blog, e os outros 20 completados dentro da cidade.

Longe de um tratado sobre atividade física e treinamento de ciclismo, vou colocar aqui algumas impressões mais gerais sobre a pedalada de longa distância. Se quiser ler algo sobre treinamento, temos bons sites na internet e bons livros também (depois indico alguns).

Foram poucas as vezes que pedalei percursos acima dos 100 km. Minha maior pedalada antes dessa (144km) foi há mais de 5 anos. Mas andei fazendo outras esticadas de 130, 120km. Pra mim esses pedais são raros por alguns motivos: obviamente por serem muito cansativos, e por tomarem um tempo muito grande. Outro fator é a companhia. Não é sempre que estou animado de fazer sozinho, e por outro lado, é difícil arrumar um guerreiro disposto a te acompanhar numa dessas.

De qualquer maneira, nos 150 km recém percorridos percebi alguns detalhes que me ajudaram a chegar bem, apesar de não estar tão  preparado como em outros tempos. Vamos a eles:

Hidratação: até aí nada de novo, pois sempre fui atento a essa questão. A cada 15, 20 minutos um pouco d’água. No caso de pedaladas de longa duração (acima de 2 horas) utilizo isotônico (Gatorade, água de côco, etc.) que também repõe sais minerais e tem carboidratos para manter a energia.

Alimentação: aí uma grande diferença. Nas pedaladas longas que já fiz sempre levo bastante rango. Engano com umas barrinhas de cereal e o momento do “banquete”, com sanduiches, frutas etc. Se estiver em algum local com comércio, aproveito também alguma lanchonete ou padaria. O grande erro: sempre comia quando a fome chegava. Fazendo isso, sempre chegava um momento no pedal onde me sentia fraco (achava que era apenas devido ao cansaço) além de me sentir um saco sem fundo, e nada que eu comia resolvia. Deve ser feito como a hidratação, ou seja, devemos manter a ingestão de carboidratos  para termos energia durante toda a pedalada. Dessa vez levei umas tirinhas de doce de banana, que ia comendo a cada 30, 40 min, durante o pedal (além da hora do rango mais pesado mesmo). Isso me deixou bem mais inteiro durante toda a pedalada , que totalizou pouco mais de 7 horas (de pedal girando, excetuando-se os descansos).

Roupa de baixo (o que???): isso mesmo. A famosa cueca senhoras e senhores. Parece bobagem? Pedale por 7 horas com uma cueca slip. A costura provavelmente deixará a pele da virilha em carne viva. E se estou escrevendo isso, é porque infelizmente já aconteceu. Mas valeu a lição. Cuecas grandes, tipo boxer (tá na moda já faz um tempo).

Conforto: bermuda acolchoada, selim confortável. Mamãe passou talquinho e cuidou tão bem, não vamos fazer pouco caso agora.

Costas livres: nada de mochila, pochete ou mochila de hidratação. Da mesma forma, ao longo das horas, o pequeno peso vira um verdadeiro fardo a ser carregado, e a lombar que já é exigida por posições mais agressivas de pedalada vai abrir o bico.

Protetor solar: dispensa comentários.

Resumo da ópera: é claro que para fazer longas pedaladas é preciso o mínimo de preparo. Começe com distâncias menores, mantenha regularidade, e se animar, escolha um dia para esticar um pouco mais longe. Após o pedal mantenha a boa alimentação, e é claro, descanse. No caso de pedaladas longas, alguns desses pequenos detalhes podem fazer a diferença entre chegar bem, chegar um bagaço, ou voltar empurrando.

Tem mais alguma dica? Me ajuda ae, é só comentar.

17 Comentários (+adicionar seu?)

  1. charles marques silva sabará
    jun 22, 2010 @ 11:33:30

    Um grande abraço a vocês! Lendo este artigo me lembrei.. dia desses fui de sabará a cachoeira do Morro Vermelho e voltei no mesmo dia. Dá um mucadim de km. a história e essa mesmo. Quando passar por aqui… lembra de mim.

    Responder

  2. André
    jun 22, 2010 @ 11:49:53

    Valeu Charles!
    Nunca fui nessa Cachoeira. É facil chegar?
    abraço!

    Responder

  3. naldinho
    set 14, 2010 @ 12:13:43

    Parabéns pelas dicas.
    Gostei da foto, que lugar é esse?

    Responder

    • André
      set 14, 2010 @ 14:17:00

      Opa!
      Naldinho é uma foto retirada da internet… não sei nem se o lugar existe mesmo…
      Abração

      Responder

      • leonardo
        ago 28, 2011 @ 13:42:36

        Cara vou fazer um passeio com meu colega…
        em setembro agora,proximo ao feriado,de Barbacena a Tiradentes…
        vou acampar na serra de tiradentes cai ser irado,sempre pedalei longas distancias…
        e fica mais uma dica pare sempre para alongar e tomar uma maltodextrina tbm ajuda mais que isotonico…almoce menos e coma por mais vezes pode pesar d+.

  4. renata cibely
    fev 03, 2011 @ 14:08:48

    Meu Caro, gostaria de informaçoes a respeito de como proceder numa nova empreitada e acho que podes me ajudar.
    Trabalho em uma cidade a 30km de onde moro e gostaria de mudar do onibus que gasto 30 min para a bike, sem pressa de chegar.
    O que me sugere? Qual tipo de bike comprar? qual a preparação que devo ter (fisica)? Tenho que tranposrtar todos os dias um notbook e aí como faço com ele? Qual o melhor jeito de traansportá-lo?
    Enfim , achei seu texto muito interessante e fiquei a vontade pra te fazer estas perguntas.
    Um abraço
    Renata Cibely

    Responder

    • André
      fev 14, 2011 @ 09:45:20

      Ei Renata, obrigado pela visita.
      Desculpe pela demora, mas agora que estou retornando das férias…
      Para te responder, seria interessante saber algumas informações complementares, mas vamos lá.
      Bom, imagino que o trecho percorrido seja de asfalto. Dependendo da sua opção por conforto poderíamos variar entre uma mountain bike, com suspensão dianteira (opção com mais conforto) ou uma bike com aro 700, pneus finos, garfo rígido, como uma Caloi 10 por exemplo (opção com menor conforto, mas melhor desempenho).
      30km é uma distância considerável, e pedalar sem peso nas costas (mochila) vai te dar um conforto sem igual. Então sugiro pra você que vai pro trabalho uma bike com bagageiro, pra você colocar um alforje ou um top rack. Nele você leva tranquila roupa extra, seu notebook e outros utensílios que você possa utilizar no seu trabalho. Nesse post eu mostro o top rack que eu uso: https://ateondedeuprairdebicicleta.wordpress.com/2010/05/27/tirando-o-peso-das-costas/. Acho muito bom, e cabe um netbook desses menores. Se não quiser comprar um desses, pode levar no bagageiro uma mochila comum, presa com aqueles elásticos com ganchos nas pontas. Fica bem firme, não tem erro.

      Quanto à preparação física, se for sedentária, sugiro começar pedalando por sua cidade mesmo até conseguir pedalar os 30 km com tranquilidade. Lembre-se: na verdade são 60 km (30 ida e 30 volta não é isso?). Assim que conseguir, o próprio trajeto de ida e volta ao trabalho vai aos poucos contribuindo para o ganho de condicionamento. Outra coisa, sugiro iniciar gradativamente. Experimente o trajeto para o trabalho de bike uma vez por semana. A medida em que for se sentindo bem, aumente para 2 vezes, 3… a medida em que for ganhando condicionamento físico, vai conseguir aumentar a quantidade de dias em que utiliza a bike.

      Boa sorte pra você! Depois nos conte aqui como foi.
      Espero ter contribuido.
      Um abraço

      Responder

  5. Pedro
    abr 03, 2011 @ 17:31:29

    André e galera, estou prestes a comprar uma bike para médias distâncias. Inclusive o objetivo principal é poder sempre visitar meu irmão que tá à 60km daqui pela Bandeirantes. Que bikes voces recomendam para tal? Digo, sejam bem específicos. Obrigado gente, até mais.

    Responder

    • André
      abr 03, 2011 @ 19:22:14

      Bom Pedro
      Se for levar muita coisa e precisar de bagageiro sugiro uma híbrida. Como vai pegar só asfalto seria interessante as rodas 700. Se já tiver um melhor preparo, for de mochila ou pouco peso e quiser mais desempenho pode pensar numa caloi 10 ou modelo semelhante.

      Um abraço e boas pedaladas

      André

      Responder

  6. Trackback: Dicas para pedaladas de longa distância
  7. Alex
    jun 18, 2011 @ 18:41:55

    Olá, André
    Seu blog é bem legal porque fala uma linguagem fácil. Para mim, que vou começar agora, do zero, no ciclismo de longas distâncias, seus comentários são muito úteis.
    Logo de entrada, também tenho a mesma dúvida da Renata: que bike comprar.
    Meu objetivo é começar uma preparação cuidadosa para cobrir daqui uns oito meses cerca de 600 km. O trajeto será de Salvador a Maceió, em março do ano que vem.
    Ainda não fiz um reconhecimento do trajeto, mas considerando as conhecidas condições das rodovias brasileiras, devo pegar trechos de asfalto em mal estado.
    Penso em uma híbrida. O que você acha? Só não entendi esse lance das rodas 700 que você falou para o Pedro. Que rodas são essas? É uma híbrida adaptada pelo próprio dono? Desculpe o desconhecimento, mas eu nasci ontem para o mundo das bikes. 100% amador.
    Abraço e muito obrigado.

    Alex
    Salvador-BA

    Responder

    • André
      jun 20, 2011 @ 21:17:50

      Ei Alex
      Acho uma híbrida uma ótima idéia. Sou suspeito pra falar, pois tenho uma, e acho a melhor opção pra quem prefere um pouquinho menos de desempenho e muito mais conforto. As rodas 700 são rodas que encontramos nas bikes speed, caloi 10 etc. Elas são um pouco maiores do que as encontradas nas mountain bikes. Então, algumas pessoas montam híbridas, colocando essas rodas em mountain bikes (e fazendo outras adaptações como paralamas, bagageiros etc). Outras compra modelos já prontos, sem fazer adaptações (como a Caloi CityTour por exemplo). Você pode encontrar um pouco mais de informação sobre isso nesse post: https://ateondedeuprairdebicicleta.wordpress.com/2009/08/11/pneus-para-bicicletas-hibridas/

      Obrigado pela visita e um grande abraço

      Responder

  8. Alex
    jul 04, 2011 @ 19:41:40

    Obrigado pela pronta resposta, André. Estou cada mais convencido de que a híbrida será ideial para meu projeto. Infelizmente, parece que a Caloi City Tour saiu de linha.
    Abraço
    Alex

    Responder

  9. Tiago Veiga
    jul 21, 2011 @ 16:45:56

    Amigo, gostei muito da postagem, principalmente do item ROUPA DE BAIXO! E, se permitir, complemento sua dica. NÃO USEM ROUPA DE BAIXO, SOMENTE A BERMUDA ACOLCHOADA COM PREFERÊNCIA PARA O BRETELLE (MACACÃO)

    Responder

  10. leonardo
    ago 28, 2011 @ 13:52:56

    eu faço meus passeios com bermuda e sem cueca,kkkk é bem melhor…
    e outra eu vou as vezes fazendo alta resistencia consiste em pedalar entre 35km/h e 50km/h durante uns 2km e passar 20km sem agua e sem nada,só eu e a bike,isso faz acostumar com uma possivel eventualidade(sem grana,ou assalto),onde levam todas as suas coisas,além de tudo depois fico melhor ainda no pedal.
    só pra quem entende msm,sem muita frescura,mais se passar de 40km não aconselho fazer isso,só os loucos fazem.

    Responder

    • André
      ago 28, 2011 @ 23:56:05

      Concordo com você Leonardo, Não faço e não aconselho ninguém a fazer. Ainda mais que no estado de privação (fome e sede por exemplo) o desempenho do nosso corpo diminui bastante. Se cuida! Um abraço
      André

      Responder

  11. leonardo
    set 01, 2011 @ 16:07:33

    vlw pode deixar vc tbm é parabéns pelo blog e pela atenção a todos.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Mais visitados

  • Nenhum
%d blogueiros gostam disto: